in

Vinho em lata é vinho?

A resposta é ‘depende’. Se o que estiver ali dentro cumprir com regras de definição de vinho – bebida fermentada de uva, com ou sem gás, e nada mais – então é.

A embalagem não define se o que está ali dentro é ou não vinho, mas sim como foi feito. E podem começar a se acostumar, porque tem cada vez mais vinho em lata no mercado.

Para se ter uma ideia, uma pesquisa da Nielsen mostra que as vendas de vinhos em lata, nos EUA, cresceram 69% em 2019 comparado a 2018, totalizando uma receita de USD 79 milhões.

Distribuidores, fornecedores, vinícolas e o consumidor final (principalmente os jovens na faixa dos 20 anos) estão cada vez mais abertos a comercializar e consumir vinhos em lata. A previsão é que isso não seja um modismo, mas sim um fato que vai ficar.

Alguns bons exemplares americanos. Fonte: The Wine Nerd

A lata – como tudo na vida – tem os pros e os contras. Como pontos positivos, podemos elencar:

– Mais barato que vinho em garrafa;
– Super simples de consumir. Não precisa de saca-rolha, nem de taça para servir. E muito mais fácil de gelar que o vidro;
– É 100% inerte, ou seja, nenhum oxigênio vai entrar para contaminar a bebida. Nem haverá contaminação proveniente da rolha (o que chamamos de ‘corked wine’);
– Material de baixo custo e menor emissão carbônica, além de mais fácil de reciclar que o vidro;
– É aceitável em locais onde o vidro é proibido (piscina, shows, etc).

Para não dizer que tudo são flores, os pontos negativos seriam:

– Não é a embalagem ideal para vinhos de guarda, aqueles que melhoram com o tempo;
– O alumínio pode passar algum sabor para a bebida – apesar dos produtores negarem esse ponto;
– Não dá pra guardar depois de aberto.

E não só os Millennials são consumidores desse tipo de embalagem. As gerações X e Y estão começando a prestar atenção, porque muitas vezes não querem comprar uma garrafa inteira (para não desperdiçar), e nem abrir mão de seu vinhozinho (quase) todo dia. Então, uma lata de 250 a 375ml faz mais sentido.

E você, já experimentou? No Brasil encontramos 2 marcas nacionais: a Vivant e a Ovnih.

Saúde.

Escrito por Claudia Melo

Empreendedora, palestrante, professora, viajante e uma total wine geek.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

0

Comments

0 comments